Passando o feriado em Vegas e …
Aproveitando para casar! – Por Fabiana Annenberg

Passaporte Fabi

Estava chegando o dia da Proclamação da República e passaríamos o feriado em Los Angeles e Las Vegas. Iríamos no dia 14 de novembro de 2012 e voltaríamos dia 20, também feriado (dia da Consciência Negra). Eis que, faltando aproximadamente um mês para a viagem, o Dani me manda um SMS: “Quer casar comigo em Vegas?

Já pensávamos em morar juntos, mas a ideia de gastar fortunas com uma festa de casamento não agradava. Comprei a ideia e, de repente, tínhamos 30 dias para organizar o que quer que podia ser organizado neste tempo.

O que eu sabia até o momento sobre casar em Las Vegas era a história de alguns famosos que se casavam por diversão, fantasiados, etc. Mas, pesquisando na internet descobri que existem todas as formas de casamento por lá.

Optamos por uma capela chamada Chapel of the Flowers.

Logo de cara me surpreendi com a facilidade que é comprar um casamento nesses websites. E quando digo comprar é porque é exatamente assim, como se você estivesse fazendo supermercado pela internet. E assim você vai enchendo seu carrinho com os itens que interessam: flores, fotos, vídeo, limousine, cerimônia, música, cabeleireiro, roupas, etc.

No nosso caso optamos pelo pacote de U$530, que incluía um buquê para a noiva, uma rosa para o terno do noivo, 14 fotos impressas, DVD, transmissão da cerimônia ao vivo pela internet por 24h, duas músicas cantadas pelo Elvis Presley e uma escolhida por nós e serviço de limousine.

O vestido e o terno compramos aqui em São Paulo. Por sorte encontrei algo praticamente pronto e com ótimo preço, que só precisava de pequenos ajustes. Com o tempo que tínhamos aproveitamos também para avisar a família e amigos e enviar o convite para assistirem a cerimônia ao vivo pelo website.

E assim viajamos…

No dia anterior ao casamento, que aconteceu no dia 17 de novembro de 2012, fomos à Courthouse de Nevada para levar a documentação preenchida previamente pela internet para pegar nossa Marriage License. Todas as informações estavam no website da Chapel of the Flowers e ainda fomos o tempo todo (desde que fechamos o casamento no Brasil) assessorados pela nossa wedding planner. Em 15 minutos recebemos o documento que deveria ser entregue no dia do casamento.

Estávamos hospedados no Hotel Bellagio e lá mesmo agendei cabeleireiro e maquiagem no quarto. Às 7h da manhã lá estavam duas simpáticas moças e eu, morrendo de medo que fizessem algo que eu não gostasse. Por sorte, competência delas, por eu ter conseguido explicar o que queria, ou por tudo isso junto, ficou perfeito! Às 9h nossa limousine estava na porta.

O mais divertido foi atravessar o hotel todo vestida de noiva. Todos olhavam e davam parabéns para o casal! O motorista aproveitou e fez um tour pela The Strip Avenue, principal avenida da cidade, contando histórias sobre os cassinos, sobre Vegas e sobre casamentos.

Ao chegarmos na Chapel of the Flowers, assinamos alguns papéis, o Dani ganhou uma flor na lapela e passamos as informações que queríamos aos organizadores. Checamos se nossa música de entrada estava correta e explicamos como deveriam colocar as camisetas com fotos dos nossos convidados nos bancos. É… essa foi uma ideia de última hora, já que não teríamos convidados presentes fisicamente.

Tivemos uma rápida reunião com o nosso Minister, que conduziu a cerimônia e até se emocionou.

Após a cerimônia fomos para uma sessão de fotos por ali mesmo, ao redor da Capela. O fotógrafo foi tão bom que nossas 14 fotos impressas vieram junto com quase 800 fotos virtuais, que não conseguimos deixar para trás e causaram um pequeno aumento no gasto previsto. Ao todo gastamos em torno de U$1.000 (U$400 só das fotos virtuais) mais as gorjetas sugeridas, que foram U$60 para o Minister, U$30 para o fotógrafo, U$40 para a limousine. Uma dica é incluir as fotos no pacote, que fica bem mais barato. No nosso caso resolvemos comprá-las quando fomos buscar as fotos impressas, o que ocorreu no final do mesmo dia do casamento (em geral as fotos ficam prontas no dia seguinte). Também neste momento recebemos as mensagens e presentinhos enviados pelo site por amigos e familiares.

Recém casados, fomos aproveitar o dia e a viagem em completa lua de mel!

Para legalizarmos o casamento aqui no Brasil foi relativamente simples. Quando voltamos ao Brasil entramos em contato com a RC Business Services, escritório localizado em Beverly Hills que nos enviou a certidão de casamento norte-americana original legalizada. Se tivéssemos mais tempo poderíamos ter feito isso nos EUA. Vale lembrar que a legalização não é averbação ou registro do casamento, é apenas um requerimento para que se possa fazer o registro no primeiro Cartório de Registro Civil da sua cidade.

Um detalhe importante: o casamento feito em Las Vegas terá como regime padrão a comunhão parcial de bens. Se você optar por qualquer outro regime, isso deve ser feito aqui no Brasil e é necessário que a certidão de casamento esteja traduzida por um tradutor juramentado e você passe por um rápido processo judicial para alteração do regime de bens. O processo é simples mas é importante seguir as orientações que constam no site.

Depois disso, pronto! Casamento validado e histórias pra contar!

Convidado
Posts Relacionados
Praia de Boa Viagem