Roteiro completo de Lisboa. Uma terrinha linda.

↩Voltar

Lisboa é um dos lugares mais surpreendentes do mundo, é uma cidade deliciosa, charmosa e única. Se você quer se divertir, comer bem, beber um ótimo vinho e ainda conhecer um pouco das suas origens, não pense duas vezes, faça a sua mala e embarque.

Eu recomendo viajar para Lisboa  de Abril a Outubro quando está calor. Com o bom tempo você pode conferir um dos céus mais bonitos que existe, ver de perto as festas de rua e ainda curtir uma boa praia.

Aqui vai um roteirinho básico de 4 dias em Lisboa. Aposto que você vai conhecer uma cidade que vai mudar a sua vida.

Dia 1

O primeiro dia vai ser fundamental para você conhecer a cultura local e se adaptar com a língua, que já vou avisando, não é tão fácil quanto você imagina. Separe um bom tênis para enfrentar o relevo extremamente acidentado e saia andando, sem pressa, por aí, o trajeto todo pode ser feito a pé.

Comece o seu passeio na Avenida da Liberdade. Uma avenida ampla, com muitas árvores e lojinhas de grife. Passeie por lá reparando em todas as estátuas espalhadas pelos jardins. Siga sempre em direção a Praça dos Restauradores.

Chegando na mesma, pare no grande Obelisco erguido em 1886 que comemora a libertação do pais do domínio Espanhol. Ele é um dos marcos da cidade, e um pouco mais a frente outro marco, a Estação do Rossio. (Estação que vai para Sintra). Continue em frente e você vai ver a Praça Don Pedro IV, conhecida como Rossio, aonde você encontra o Teatro Nacional, a estátua de Dom Pedro e a Pastelaria Suíça. Se você não tomou o café da manhã, aproveite para experimentar os doces de ovos e tostas (sanduíches) de uma pastelaria bem tradicional da cidade.

Essa é a parte turística da praça, mas agora vou contar uma dica local: caminhe em direção ao teatro, no seu lado direito (mesmo da pastelaria), você acha o melhor lugar de tomar Ginjinha de Lisboa, como ele é pequeno, se não achar de primeira pergunte pela “Ginjinha do Rossio”, todos os portugueses conhecem muito bem o local. Ginjinha é um licor feito a base da fruta Ginja, muito famosa por Portugal. Ela é bem docinha e gostosa, vale pelo menos experimentar. Os Portugueses tomam esse licor a qualquer hora do dia, recomendo você a fazer o mesmo, afinal não é sempre que estamos em Lisboa.

Saindo do Rossio dê uma passada na Praça da Figueira, logo ao lado e vá em direção à rua Augusta, um óooootimo lugar para fazer umas comprinhas. Curta o passeio e vá seguindo até a Praça do Comercio. Você chegará lá depois de passar pelo lindo Arco Triunfal. A Praça do Comercio abrigou durante 400 anos o Palácio Real, mas hoje é só um lugar bonito em que você pode ver o Tejo. Depois da reforma encontramos diversos restaurantes bacanas por lá, vale a pena conferir.

Volte em direção a rua do Ouro e aproveite para pegar outra atração da cidade: o Elevador do Carmo. Além de ser uma construção do séc XIX muito elegante, o elevador liga a rua do Ouro a rua do Carmo. Na saída do elevador, fique de olho na igreja do Carmo, ela foi destruída pelo terremoto de 1755, mas os arcos originais continuam lá e são impressionantes.

A essa altura você já deve estar com fome, certo? Então faça um Pit Stop para o almoço. Aqui vai a indicação de 2 restaurantes bem perto e com um preço bom. Média de 15-20 euros já com bebidas.

Cafe Royale (Largo Rafael Bordalo Pinheiro, nº29)  ou Cafe no Chiado (Largo do Picadeiro nº10)

Quer uma sobremesa?

Pare para tomar o sorvete mais famoso de Portugal. Ele fica na frente do Armazém do Chiado e chama Santini. Ah, e lembre-se: sorvete lá se fala gelado ;)

Faltou o café?

Na rua Garret tem um café importantíssimo, chama-se “A Brasileira”. Sente-se, tome um cafezinho e aproveite para tirar foto com o Fernando Pessoa em bronze que está sentado por lá. Falando em Fernando Pessoa, tem uma outra estátua em homenagem a ele muito bacana bem pertinho, fica na Praça da Árvore. Uns 5, 10 minutos a pé.

Depois de comer, se perca nas ruazinhas, veja os portugueses mais transados, repare nos prédios, nos azulejos, no varal que fica sempre para o lado de fora das casas, nas velhinhas sentadas na pracinha, enfim, ande tranquilamente curtindo o lugar.

Ah, e aproveite para fazer compras, por lá você vai encontrar desde lojas típicas muito legais como A Vida Portuguesa, até grandes marcas internacionais. Existe também um pequeno shopping na rua Garret, o Armazém do Chiado, onde tem um pouco de tudo, com destaque para uma grande FNAC e uma Sephora.

Cansou do passeio e quer fazer uma pausa? Nada mais português do que aproveitar o fim do dia para curtir uma boa esplanada para tomar um vinho.

Vá a esplanada do Hotel do Bairro Alto (grudado com a Praça do Camões) ou do Hotel do Chiado (do lado do Armazem do Chiado), as duas são incríveis e o preço dos vinhos é muito bom. Uma dica: experimente o vinho verde ou rose, refrescantes e deliciosos eles são as especialidades do país.

 Pronto para jantar?

Vou dar duas indicações de restaurantes portugueses bem típicos e incríveis no Bairro Alto. Nos dois você deve gastar em média 30 euros com bebida e sair bem satisfeito:

Alfaia (naTravessa da Queimada, n 22) ou Farta Brutos (na Travessa da Espera 20)

Dia 2

O dia de hoje vai ser mais tranquilo. Comece tomando o pequeno almoço (café da manhã) num dos hot-points dos lisboetas: Pastelaria Cristal no bairro da Estrela-Lapa (Rua Buenos Aires 25) . Dizem que os pasteis de nata de lá são ainda mais gostosos do que os originais de Belém, vale conferir e dar o seu voto. Na saída, vá até a Basílica da Estrela, a mais bonita da cidade.

De lá, pegue o Elétrico 28 com direção ao Martin Moniz. Existem vários outros jeitos de chegar até o bairro da Alfama, mas andar de bondinho é tão turístico que vale a pena, né?! Desça na parada  e confira a Igreja da Sé, um marco arquitetônico e depois dê uma passada na igreja do Santo Antônio, que fica logo ao lado. Foi nesta igreja que o Santo Antônio nasceu, então se você quiser casar é nela que você tem que rezar…hehehe

Continue o resto do passeio a pé, em direção ao Largo de São Miguel, lugar em que você vai almoçar. Entre nas lojinhas de produtos artesanais que ficam pelo caminho, na Alfama é um bom lugar para comprar aquelas famosas toalhas de mesa e cerâmicas.

Chegando no Largo São Miguel procure o restaurante Santo Antônio de Alfama. Lá você pode comer um bom bacalhau, ótimas carnes e uma entradinha de cascas de batata incrível! O mais legal é que o restaurante fica no meio de uma vila, então você vê de pertinho todos os costumes locais.

Depois do lamoço,  em direção ao Castelo de São Jorge, mas no caminho dê uma parada no Mirante de Santa Luzia. Você vai conseguir ver a cidade inteira e ainda dar uma descansada para chegar até o castelo, que fica numa subida.O Castelo de São Jorge é um dos passeios obrigatórios de Lisboa. A entrada custa 7 euros e vale cada centavo. Ele é uma fortaleza em ruína, mas por ficar em cima da cidade tem uma das vistas mais belas que há.

Que tal tomar aquele vinho do fim da tarde num lugar especial pertinho do Castelo e com a mesma vista? Vá ao Resto do Chapitô ( na Costa do Castelo, n.º 1 / 7). Um lugar mágico que mistura espetáculos circenses a um restaurante fino.

Depois do vinho você pode decidir jantar no mesmo local, o restaurante é um dos mais gostosos da cidade, com um preço médio de 35 euros você come muito bem e bebe os melhores vinhos da região. O prato mais famoso de lá é a Raia.

Dia 3

Vamos conhecer um lado totalmente diferente de Lisboa. Acorde e vá em direção a Belém.

Comece seu passeio com um café da manhã no tradicional Pastel de Belém. Esse é o original e o meu preferido. Você logo vê pela filinha que fica na porta da casinha de toldo azul. Não preciso nem falar que ele é parada obrigatória, né?! Fico com água na boca só de lembrar dele.

Depois de se alimentar bem vá até o Mosteiro dos Jerônimos, logo ao lado. Além de ter uma construção linda por fora ele é lindo por dentro. Para entrar custa 7 euros. Obra fundamental da arquitetura Manuelina, o Mosteiro dos Jerónimos foi encomendado pelo rei D. Manuel I, pouco depois de Vasco da Gama ter regressado da sua viagem à Índia. A obra começou em 1502 e é cheia de elementos navais, fique de olho nas cordas, âncoras e peixes talhados nas colunas. Dentro da igreja, que fica anexada ao Mosteiro, você encontra o túmulo de grandes nomes da história como: Vasco da Gama, Luís de Camões, Rei Don Sebastião entre outros. E no Claustro fica o túmulo do Fernando Pessoa.

Saindo de lá, se você gostar de arte, dê uma passadinha no CCB (Centro Cultural de Belém), ele é gratuito e tem sempre exposições bem interessantes. Se não gostar, atravesse o jardim, pegue o túnel subterrâneo e vá direto ao Padrão do Descobrimento.

O monumento tem a forma de uma caravela estilizada. D. Henrique, o Navegador, está na proa, com uma caravela nas mãos. Nas duas outras filas estão as estátuas de heróis portugueses ligados aos descobrimentos, como: o poeta Camões, o pintor Nuno Gonçalves com uma paleta, bem como navegadores, cartógrafos e a realeza. Eu adooooro a rosa dos ventos que tem no chão.

Almoce por lá mesmo para continuar o passeio, indico o Restaurante Á Margem, na beira do Tejo, entre o Padrão do Descobrimento e a Torre de Belém. Ele é bem leve, gostoso e agradável.

Continue caminhando e encontre a famosa e maravilhosa Torre de Belém. A Torre já foi usada como forte e prisão política, hoje é um patrimônio mundial da UNESCO. O monumento reflete influências islâmicas e orientais, que caracterizam o estilo manuelino.Vale a pena pagar 5 euros para entrar nela (você pode fazer um pacote e pagar 10 euros para ir ao Mosteiro + Torre de Belém) Para mim é o lugar mais bonito da cidade, você tem a vista do Tejo e da ponte 25 de Abril que é um espetáculo.


Quer jantar?

Taberna Ideal. Uma Taberna bem pequena, super retrô que é uma graça com uma ótima comida, fica na rua da Esperança, 112. Preço médio de 20 euros. Não aceita cartões.

Alcantara Café. Um restaurante cosmopolita dentro de uma fábrica desativada, o ambiente é sensacional. Um dos melhores bacalhaus da cidade. Fica na rua Maria Luisa Holstein, 15. Preço médio de 35 euros.

Dia 4

No quarto dia você vai conhecer o lugar mais moderno da cidade: A EXPO. Essa parte da cidade foi toda reformada para a Exposição Mundial de 1998 e virou um patrimônio para a cidade.

Siga em direção ao Parque das Nações. No parque você vai encontrar várias coisas divertidas para fazer, comece com um bom passeio do lado do Tejo. Tem um bondinho, que te leva de um lado ao outro do Parque. Não acho parada obrigatória, mas a vista é bem bonita.

A melhor da EXPO, que chama a atenção das crianças e dos adultos é o Oceanário. Ele é incrível,  um dos maiores do mundo e com certeza o melhor que eu já fui. O passeio é agradável e muito divertido, você  vai passar horas admirando o grande aquário central repleto de tubarões, raias, peixes raros e até peixes pré-históriocos, como o Lua. Nas galerias laterais você encontra dezenas de pingüins e lontras super fofas. Minha parte preferida por lá é a das águas vivas, elas dançam como bailarinas, é impressionante.

O preço dos ingressos do Oceanário varia. Crianças até 3 anos não pagam, de 4 a 12 pagam 6 euros e o resto paga 12 euros. Se você comprar os bilhetes online ganha 10 % de desconto.

Depois do almoço você pode dar uma passadinha no Casino de Lisboa (nosso Cassino), fica na Alameda dos Oceanos mesmo, bem pertinho do Oceanário. Vai que é seu dia de sorte, né?! Além de jogar você pode conferir a agenda de shows de lá, que são bem bacanas. Se não curtir a jogatina, pode dar uma passada no melhor shopping da cidade, o Centro Comercial Vasco da Gama, que é cheio de lojas internacionais e locais.

Fim de noite livre.

Programas Coringas:

Para conhecer Lisboa à noite

Não perca de jeito nenhum o Bairro Alto durante à noite. De quinta a domingo as ruas por lá bombam. Dezenas de bares, um do lado do outro, abrem suas portas e vendem de simples cervejas (chamadas de imperiais) a drinks malucos com Absinto. Entre pela rua da Atalaia e sai andando em busca da diversão. Tudo é muito bom e barato.

Não vá esperando bares como os daqui em que você fica sentado bebendo, no Bairro Alto é tudo em pé, como se fosse uma festa de rua. Então vá com uma roupa muito confortável e um bom sapato, a rua é tão acidentada que não dá para pagar de gatinha. Você vai ver gente do mundo inteiro, é um dos passeios mais legais que tem.

Sugiro você dar pelo menos uma passada no Bar Mezcal (Travessa Água da Flor 20 ) e experimentar o Cérebro, shot bem suave e gostoso. Confira também dois bares muito famosos:  Maria Caxuxa, na rua da Barroca e o Mahjong, na rua da Atalaia.

Para ouvir um  Fado

Tasca do Chico. É um Fado mais moderno e frequentado por lisboetas. É sempre meio cheio, então não vá muito tarde.

Luso. Uma opção bem tradicional.

Ou entrar em qualquer casa em Alfama. Bairro berço do Fado.

Para beber como um português

O meu lugar preferido para tomar vinhos em Lisboa, a Garrafeira Alfaia, conhecida como Bar do Pedrão. Para começar o próprio Pedrão e o Junior, que trabalham lá, são pessoas incríveis e grandes conhecedores de vinho. Se você quer experimentar o melhor que há em Portugal, por um preço super justo, essa é uma parada obrigatória. Sem contar que tem deliciosos queijos e presuntos.

Para beber drinks malucos, o Pavilhão Chinês. Ele é o bar mais incrível que eu já fui, o lugar era um museu de brinquedos que virou um bar especializado em drinks e chás. Existe uma sala só de soldadinhos de chumbo, uma bela mesa de sinuca e um ambiente para lá de pitoresco. Vale a pena!

Para relaxar e ver uma das vistas mais lindas da cidade, Noobai. O fim de tarde aqui é inesquecível.

Para pegar uma balada

Clube Ferroviário O lugar mais bacana do momento. Uma esplanada, de frente para o Tejo com ótima música e muita bebida. Toda a sua decoração foi tirada de trens e estações, é bem divertido. Mas acaba cedo, umas 2 da manhã e não abre às
terças e quartas.

Se ainda tiver pique depois das 2 corra para a LUXmelhor balada de Lisboa. Ela é linda e a música é sensacional. O único problema é que as vezes implicam com brasileiros na porta, então vá arrumadinho. Custa 12 euros para entrar com direito a 1 bebida.

 Outros restaurantes

Bica do Sapato. O restaurante mais transado de Lisboa tem uma vista linda do Tejo e um cardápio super moderno. (Preço médio de 40 euros)

PapaçordaUm dos restaurantes mais tradicionais de Lisboa. (Preço médio 45 euros)

Sinal Vermelho. Ótima comida portuguesa. (Preço médio 20 euros)

A TravessaUm dos melhores restaurantes de Lisboa, ele é sofisticado na medida certa e fica dentro de um antigo Mosteiro muito bonito. (Preço médio 40 euros)

 Eleven. Restaurante português que já teve uma estrela no Michelin. A sua vista é espetacular. (Preço médio 50 euros)

Dicas gerais

-       Sempre reserve os restaurantes antes de ir, como são pequenos, costumam lotar.

-       Em Lisboa não é comum dar os 10% de serviço, então economize.

-       Muitas coisas ficam fechadas aos domingos, antes de sair para o passeio dê uma conferida.

-       Se for á noite para o Bairro Alto, fique de olho na sua carteira, existem alguns pickpockets.

Do aeroporto para o hotel

Lisboa é uma das únicas cidades da Europa em que o aeroporto principal fica bem perto do centro (7 km). Então chegando de viagem você tem duas opções:

Pegar um táxi, que para o centro custará entre 9-15 euros já com todas as taxas. (Fique de olho no taxímetro para evitar que te enganem, coisa que, infelizmente, acontece muito por lá)

Ou pegar o ônibus 44 ou 45 que fazem a conexão até o centro e custa €2,50.

Hotéis

Os hotéis em Lisboa são considerados baratos perto do resto da Europa e são muito bons. Aconselho escolher o que melhor couber no seu bolso e ficar em bairros bem centrais

Para gastar bem pouco:

Lisboa tem os melhores hosteis da Europa

The Travellers House

 Lisbon Lounge Hostel

 Goodnight Backpackers Hostel

 Shiado Hostel

Para gastar pouco:

Gat Rossio 

Brown’s Apartament (adoro essa opção, é muito central, tem um preço bom e é uma graça)

Para gastar um pouco mais:

Hotel do Chiado (Está numa fase de grandes reformas, mas tem uma boa localização)

Hotel do Bairro Alto (Outra opção que eu gosto muito)

Hotel Heritage 

Pestana Palace (Não é tão central, mas é um castelo preservado, lindo que até a Madonna costuma ficar hospedada.

Pronto, com essas dicas você já vai conhecer bem Lisboa. Se você for ficar mais de 4 dias faça tudo com calma e aproveite para conhecer cidades vizinhas como Sintra e Óbidos. Em breve vou escrever sobre as duas.

Deixar resposta