As misteriosas pirâmides de Teotihuacán

↩Voltar

Não se sabe ao certo como surgiu, nem como terminou. Não se tem conhecimento preciso de quem construiu todos aqueles templos, palácios e pirâmides. Nem de todas as pessoas que viveram em Teotihuacán (alguns falam em 20mil habitantes, outros em até 200mil).

O que se sabe é que Teotihuacán é um lugar mágico, fascinante, instigante, que fica ali bem pertinho da Cidade do México, e que você não pode deixar de conhecer. São mais de 80km quadrados de muita beleza e muito mistério…

A Cidade do México foi um dos lugares que mais me impressionaram na vida. Aquela cidade gigantesca e caótica, ao contrário do que eu imaginava, tem muito a nos mostrar. E a viagem também foi uma das mais especiais. Estávamos em um grande grupo, com pessoas vindas de muitos lugares do mundo, aproveitando nosso Spring Break (a famosa “semana do saco cheio” americana) durante o período em que estudei em NY.

Escolhi como tema deste post a visita (imperdível!!) que fizemos às pirâmides de Teotihuacán. Mas ainda pretendo falar, em outros posts, sobre alguns outros programas que acho imperdíveis para quem passa pela Cidade do México, como o Museu Frida Kahlo e o Museu Antropológico (amei os dois!).

Conhecida como “o lugar onde os deuses foram criados“, Teotihuacán é uma cidade monumental carregada de simbologias. Foi declarada como Patrimônio Mundial da Humanidade pela UNESCO em 1987.

Sem afirmar com toda certeza, os historiadores estimam que a fundação de Teotihuacán tenha ocorrido em meados do ano 100 a.C.. Estudiosos afirmam também que esta já foi a maior cidade do mundo e que, durante algumas centenas de anos, Teotihuacán foi o mais importante centro cultural, político e religioso da América Central.

Com certeza é um dos sítios arqueológicos mais antigos do México. Suas primeiras escavações tiveram início em 1884.

Não só a construção, mas o abandono de Teotihuacán também é todo carregado de mistérios. Fala-se em incêndio, falta de alimentos, invasão, ou qualquer outro motivo que fez com que seus habitantes deixassem o local de forma repentina e violenta.

A cidade de Teotihuacán tem uma arquitetura de uma imponência impressionante. Além do tamanho de seus monumentos, impressiona a geometria e simetria das construções (veja o mapa aqui).

No centro, a chamada Avenida dos Mortos (com 4 km de extensão) é toda cercada por pirâmides. Em uma ponta, você verá a pirâmide do Sol (a maior pirâmide da cidade e originalmente pintada em vermelho). Na ponta oposta, fica a pirâmide da Lua. O que achei mais fascinante é que toda a disposição da cidade segue os movimentos dos astros. Diz-se, inclusive, ser ali o ponto de encontro entre os deuses, o céu, a terra e a humanidade.

O Templo de Quetzalcoatl é um dos mais interessantes de se visitar. Ele é todo decorado, com esculturas e pinturas diversas. Uma das figuras mais importantes para aquele povo era a serpente, que também está representada nessa construção. É uma obra de arte única no mundo! Dizem também que a arte do povo de Teotihuacán era uma das mais desenvolvidas dentre as civilizações clássicas mexicanas.

Dizia nosso guia -  um fã confesso do povo de Teotihuacán – que o povo que habitou a cidade era muito alto (por isso os degraus das pirâmides eram tão altos e tão cansativos de subir), que eles tinham uns 2 metros de altura, o rosto chato e olhos orientais. Nosso guia era bem engraçado e repetiu isso por dezenas de vezes durante nosso passeio.

Ele nos contou também que eles conheciam a astronomia bem antes dela virar ciência. E que foram eles que previram uma grande catástrofe (o fim do mundo) em 31 de dezembro de 2012! (está chegando!!) Aliás, acho que vale muito a pena fazer o passeio com um guia que conte todos os detalhes, curiosidades, lendas e estórias.

Uma lenda que se ouve por lá é que em Teotihuacán há cinco sóis (e cinco eclipses). Diz-se que o Primeiro Sol (um animal) teria destruído a primeira geração de homens, o Segundo Sol (o vento) teria destruído a geração seguinte, o Terceiro Sol (o fogo) teria destruído a terceira geração, e a quarta teria sido destruída pelo Quarto Sol (a água). E o Quinto Sol teria sido criado em Teotihuacán e tem relação justamente com a profecia do fim do mundo

Informações úteis:

- Teotihuacán fica a apenas cerca de 40 quilômetros a Nordeste da Cidade do México. De carro, a viagem dura em torno de 45 minutos. Aconselho fechar algum tour com motorista (de carro ou ônibus).

- Vários oferecem o passeio com uma passagem no caminho pela Basílica da Virgem de Guadalupe (o principal templo da Igreja Católica no continente americano e um dos pontos mais visitados do mundo). Infelizmente nós não conseguimos visitar, mas acho que vale dar uma passada e conhecer um pouco do folclore do lugar.

- Ao escolher seu guia veja se você prefere alguém que fale espanhol ou inglês. Só que nem todos os guias têm um inglês muito bom (o nosso supostamente falava inglês, mas era um inglês bem ruim… e um tanto engraçado).

- Como é possível (e eu super recomendo!) subir nas pirâmides, aconselho a ir de tênis, estar bem abastecido de águas e colocar um chapéu bem estiloso pra se proteger do sol (imagina o que cinco Sóis podem fazer com a sua pele!!).

- Ao planejar sua viagem, fique atento: a exigência de visto para entrada de brasileiro no México já mudou algumas vezes. Em alguns casos, basta a emissão de uma autorização eletrônica no site do consulado. Veja informações aqui.

- Veja mais informações úteis sobre o passeio às pirâmides de Teotihuacán aqui e aqui.

Meus agradecimentos mais do que especiais às minhas queridas amigas que me acompanharam nessa descoberta: Fernandinha, Ivana, Celine, Ângela e Sabrina.

E, claro, ao guia (esse figura da foto aí embaixo) que nos fez rir muuuuito naquele dia.

O crédito das fotos vão para a Sabrina, nossa fotógrafa oficial.

Veja aqui também o post da Carol sobre outro sítio arqueológico do México, que fica perto de Cancun: Chichén Itzá.

Deixar resposta