13 dicas para tornar sua viagem de avião mais agradável

Primeira_Classe

Avião e conforto são duas palavras que não costumam coexistir na mesma frase. A não ser, claro, que você tenha bala na agulha suficiente para bancar uma classe executiva ou uma primeira classe, o que, convenhamos, não corresponde à realidade da grande maioria das pessoas. Pois é, infelizmente, esse mundinho perfeito retratado na foto aí de cima não está ao alcance da maior parte de nós, reles mortais. Então, enquanto meu dia de ganhar na Mega Sena não chega, procuro fazer com que minhas viagens (na classe econômica) fiquem cada vez mais agradáveis. Quer saber como?

Aí vão 13 dicas:

1. Travesseiros de pescoço. Item essencial se a viagem é longa! Acho que é o único jeito de encontrar uma posição confortável para descansar e apoiar a cabeça (sem ficar “pescando” pra frente e pra trás, sabe?). Fora que é importantíssimo para que você fique com a postura correta durante o voo e não fique com dor no pescoço ou nas costas depois. Pessoalmente prefiro aquele inflável, pois é mais fácil de carregar (vazio, ele cabe em qualquer bolsa). Quando for encher, lembre-se de que ele expande um pouco durante o voo por causa da diferença de pressão. Esses mais fofinhos também são uma delícia. Só é bom comprar daqueles que vêm com uma fivela para prender na bagagem de mão para você não perder por aí.

2. Roupas confortáveis. Não entendo as pessoas que viajam com calça jeans colada e saltos astronômicos (tipo as celebridades, sempre que são fotografadas no aeroporto, sabe?). Ainda sou da época que roupa para viajar era moletom (lembra daqueles conjuntos de moletom de calça e blusa da mesma cor que as nossas mães compravam??) Hoje, acho que uma calça legging + um tênis (ou bota baixa) + uma malha bacaninha é a roupa perfeita para viajar. A regra é: quanto mais confortável, melhor! Não se esqueça de que durate a viagem nosso corpo dilata e os pés normalmente incham. Se o sapato já está apertando em condições normais de temperatura e pressão, imagina que delícia vai ser chegar no seu destino com os pés inchadinhos e ter que encarar um sapato que mal entra no seu pé, hein!

3. Lenços (e meias quentinhas). Tenho pavor de ar condicionado. Pronto, falei. Sei que tem gente que acha que foi a melhor invenção do homem depois do próprio avião, mas eu discordo. Principalmente quando ele é ligado em sua potência máxima (exatamente como as companhias aéreas costumam fazer) e congelam meus pés, os dedinhos das minhas mãos e meu nariz. Bom, se você é como eu, não deixe de levar um par de meias bem quentinhas na bolsa (nem toda companhia aérea tem a bondade de dar esse brinde aos seus clientes) e um lenço, echarpe ou pashmina. Quando o negócio ficar gelado (o que normalmente acontece de madrugada, naquele momento em que tudo que você queria era estar na sua cama quentinha), enrole o lenço em volta do pescoço (ou, se preciso, em volta da cabeça toda, tipo uma burka mesmo… já fiz isso várias vezes) e bons sonhos!

4. Fones de ouvido. Você já viajou ao lado de um bebezinho ou uma criancinha linda e fofa que no meio do voo abre um berreiro e não para mais? Você já viajou ao lado de alguma senhora que ronca mais alto do que seu avô durante o cochilo da tarde? Para isso, tem duas soluções: tampão (algumas companhias aéreas fazem a gentileza de disponibilizar a seus clientes) ou fones de ouvido com a sua música preferida (melhor ainda se for daqueles que isolam o som ambiente).

5. Chicletes. Ouvido entupido dá um nervoso danado, não dá? Sempre que o meu entope eu tenho a sensação de que nunca mais vai voltar ao normal. Isso normalmente acontece durante as decolagens e aterrissagens do avião, por causa da variação brusca da pressão atmosférica. Como aliviar a sensação? Bocejar ajuda, mas quem foi que disse que bem nessa hora você vai ter vontade de bocejar? Então, tenha um chiclete na bolsa para mascar nesses dois momentos mais críticos. É tiro e queda.

6. Evite bebidas gasosas. Nas horas que antecedem seu voo e mesmo durante a viagem de avião, é aconselhável não ingerir alimentos e bebidas que estimulem a formação de gases. A digestão fica mais difícil e você pode se sentir ainda mais inchado. Então, nada de refrigerantes, feijoada, frituras, brócolis, iogurte, etc, antes e durante o voo, ok?

7. Perfumes e sprays aromatizadores. E aquele vizinho da poltrona que está “mochilando” por aí há meses sem tomar um banhinho? Ou aquele com o desodorante vencido, ou que não tomou os cuidados da dica anterior? Pode ser muito desagradável viajar ao lado de uma pessoa assim, né? Para emergências como essas, tenha sempre na sua bolsa um perfuminho ou um spray aromatizador de ambiente. Sei que parece uma frescura-master, mas garanto que você não vai se arrepender.

8. Umidificador. Mais uma vez o ar condicionado do avião é o vilão. Ele resseca tudo. Suas narinas, sua pele, seus lábios, suas lentes de contato. Salsep é um desses umidificadores de narinas que é sempre bom ter na bolsa. Para quem usa lentes de contato, é essencial levar uma daquelas soluções que umidificam as lentes também.

9. Hidratantes. Na mesma linha, outros itens indispensáveis da bagagem de mão são: hidratante para as mãos e para a boca. Pessoalmente, adoro os hidratantes labiais da Carmex (vende em qualquer Pharmacy nos EUA).

10. Almofada que vira edredom. Esse é um achado que virou meu vício, seja no sofá de casa, seja no avião. É uma almofada que tem zíper e vira um edredom fofinho e delicioso. Você vai dormir no avião como se estivesse na sua cama. Na Etna tem um baratinho (veja aqui). Vale a pena!

11. Porta-dinheiro. Quando tenho que viajar com uma quantidade relativamente grande de dinheiro (para lugares em que o acesso ao banco é difícil, ou onde não costumam aceitar cartões de crédito ou outras formas de pagamento), fico tensa durante todo o voo com receio de algum mau elemento mexer nas minhas coisas enquanto estou dormindo. A solução: usar aquele porta-dinheiro por baixo da roupa. Dá uma tranquilidade…

12. Movimente-se. Ficar muito tempo com as pernas paradas durante viagens longas pode ser um problema sério. Isso reduz o fluxo sanguíneo, o que pode causar problemas de saúde graves. Por isso, movimente-se! Tente se levantar pelo menos a cada duas horas, ou ao menos movimentar os pés para cima e para baixo constantemente.

13. Escolha a poltrona certa. Escolher um bom assento no avião pode fazer toda a diferença na sua viagem. Se você é uma pessoa alta ou com as pernas compridas, ficar no corredor é a melhor opção, pois normalmente tem mais espaço para se esticar. Ao mesmo tempo, pode ser desagradável ter que ficar dando passagem para os seus vizinhos o tempo todo. O assento da janela costuma ser bom para dormir, mas não funciona se você costuma ir muito ao banheiro. Até pouco tempo atrás, minha mãe só viajava no último assento do avião (dizia que, em caso de acidente, a chance de sobrevivência era maior… nunca vi ninguém comprovar isso, mas enfim). Pessoalmente, acho a pior opção, pois normalmente o encosto não reclina totalmente e fica muito perto dos banheiros, onde a movimentação é maior.

Bom, é isso. Só não se esqueça de, antes de sair colocando todas essas frescurites na sua mala de mão, checar as restrições da companhia aérea e do voo com relação a líquidos e ao peso da mala de mão.

Daí, é só aproveitar a viagem!

Posts Relacionados
Largada_trios_Bertioga_Maresias_2014